segunda-feira, 12 de abril de 2010

PAISAGENS NATURAIS DO BRASIL

No estudo das paisagens naturais do Brasil, é preciso levar em consideração que esta vegetação encontra-se bastante alterada em função do processo de ocupação após a chegada dos europeus em nosso território, sendo que alguns ambientes chegam a apresentar 98% de degradação em relação a formação original, como é o caso das pradarias, no sul do Rio Grande do Sul.

Floresta Equatorial Amazônica: A maior formação florestal do Brasil, ocupa quase a metade do país ao norte. É uma formação higrófila (de áreas úmidas), latifoliadas (grandes folhas), perene (sempre verde), fechada e heterogênea (grande número de espécies vegetais). Conhecida como "Hiléia", tem na exploração da madeira ou nas queimadas para a abertura de áreas agropastoris as principais ameaças à sua existência.

Floresta Ombrófila (palavra de origem grega que significa " que gosta de chuva") Densa ou Mata Tropical Atlântica: Hoje esta reduzida a meras reservas, preservando a memória do que já foi no passado. Essa vegetação espalhava-se ao longo da costa litorânea brasileira, estendendo-se do Rio Grande do Norte ao Rio grande do Sul, com maior alargamento nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Associada à umidade litorânea, possuía as mesmas características da floresta equatorial, sendo higrófila, latifoliada, perene, densa e heterogênea. A boa noticia é que dados obtidos a partir de imagens de satélites demonstram que a Mata Atlântica em São Paulo volta a crescer, vegetação natural paulista recupera 3,8% do espaço.

Mata dos Pinhais ou de Araucária:  Ocupando regiões do Paraná , Santa Catarina e Rio Grande do Sul, passou pelo mesmo processo de degradação, restando apenas 4% de sua área original. Diferente das matas tropicais, é uma mata aberta, aciculifoliada (folhas pontiagudas) , adaptadas a ambientes frios e mais restritas em termos de espécies vegetais, sendo as mais conhecidas, a Erva mate, o Pinheiro do Paraná, e a Araucária angustifólia, uma árvore de excelente madeira que foi intensamente explorada para utilização na construção civil. Com o avanço do cultivo da soja, a partir da década de 1970, as poucas áreas de pinheirais existentes no sul do Brasil praticamente desapareceram.

Mata dos Cocais: Essa formação, também chamada de mata de transição, passa por um processo de degradação, ameaçada pelo avanço do cultivo da soja e criação de gado. Essa formação abrange áreas do Maranhão Piauí, Ceará e Rio grande do Norte, é constituída de coqueirais com espécies como o babaçu, e a carnaúba, muito empregada no nordeste para os mais diversos fins.

Savana (Cerrado): Estende-se por mais de dez estados brasileiros, esta região esta associada a climas tropicais semi-úmidos e solos pobres e ácidos. Característica: caules retorcidos, chegam no máximo a 5m de altura, folhas ásperas. Com o barateamento dos custos de fertilização do solo, o cerrado passou a atrair o interesse de grandes empresas agrícolas, pois é um tipo de terreno plano, o que favorece a implantação de lavoura mecanizada. A partir dos anos de 1980 grande áreas do Cerrado foram substituídas por lavouras de café, trigo e principalmente soja.

Caatinga: Ocupa as áreas semi-áridas do Sertão Nordestino,consiste principalmente de vegetais denominados xerófitas, como as cactáceas, como o xique-xique, o mandacaru e o faxeiro. Vegetação adaptada a escassez de água, possui espinhos, cera no caule e grandes raízes. Esta formação também se encontra bastante alterada, o motivo desta alteração está na criação do gado, cujo pastoreio acaba desfigurando o meio ambiente.

Campos ou Pradarias: localizado no sul do Rio Grande do Sul, é considerado uma continuação dos Pampas argentinos e uruguaios , é uma formação constituída de gramíneas, vem sofrendo ao longo de décadas intensa destruição da cobertura vegetal, devido a criação do gado, cuja conseqüência é o risco de desertificação.

AS FORMAÇÕES COMPLEXAS Em algumas regiões do território brasileiro, o excesso de umidade acaba propiciando o desenvolvimento de uma vegetação diferenciada. Destacam-se:
Complexo do Pantanal: é uma das formações mais ricas do Brasil, estende-se por uma área de aproximadamente 220 mil km2, localizado a oeste do Mato Grosso do Sul e sudoeste do Mato grosso do Sul junto à fronteira da Bolívia e Paraguai. As condições pantanosas da região são conseqüências das invasões provocadas regularmente pelas águas da Bacia hidrográfica do rio Paraguai, daí surgem a misturas de espécies vegetais, como, árvores, arbustos, gramíneas, e até cactáceas. A grande ameaça sobre este ecossistema é a caça e a pesca predatória, e a expansão da atividade agrícola.

Mangue: consiste numa formação que acompanha o litoral do Brasil desde o Amapá até Santa Catarina. É uma Vegetação muito especial, com plantas com raízes aéreas e capazes de suportar a salinidade do solo. O Mangue pela suas características retêm grande quantidade de nutrientes, o que provoca a atração de várias espécies de animais terrestres e marinhos usando-o como ambiente de reprodução, conhecido também como "berçário" para várias espécies. O crescimento das cidades e conseqüente aterramento das áreas de manguezal, o despejo de poluentes industrias, tem como resultado a gradativa eliminação deste importante ambiente de reprodução.

Nenhum comentário: