quarta-feira, 27 de maio de 2009

GUERRA FRIA

Disputa pela hegemonia mundial entre Estados Unidos e URSS após a II Guerra Mundial. É uma intensa guerra econômica, diplomática e tecnológica pela conquista de zonas de influência. Ela divide o mundo em dois blocos, com sistemas econômico e político opostos: o chamado mundo capitalista, liderado pelos EUA, e o mundo comunista, encabeçado pela URSS. Provoca uma corrida armamentista que se estende por 40 anos e coloca o mundo sob a ameaça de uma guerra nuclear.
ESQUEMA - GUERRA FRIA
¨ Inicio- Ao final da II Guerra mundial:
¨ Enfraquecimento econômico e político dos países europeus
¨ Bipolaridade mundial
¨ Cortina de Ferro
¨ Ausência de confrontos diretos entre EUA e URSS
¨ Bomba atômica soviética
¨ Criação da OTAN e do Pacto de Varsóvia
¨ Descolonização da África e da Ásia
- Revolução socialista na China
¨ Plano Marchal
¨ Marcatismo
¨ Muro de Berlim (Maior símbolo da Guerra Fria)
¨ Guerra da Coréia
¨ Guerra do Vietnã
¨ Invasão da Hungria
¨ Primavera de Praga
¨ Revolução cubana
¨ Questão dos mísseis
¨ Aliança para o Progresso
¨ Combate ao populismo na América latina
¨ Apoio as ditaduras latino-americanas
¨ Detente
¨ Perestroika e Glasnort
¨ Queda do muro de Berlim ( maior representação do fim da guerra fria)
Nos fins da Segunda Guerra Mundial, os países aliados se reuniram na Conferência de Yalta para discutirem a organização do cenário político e econômico do pós-guerra. Já nesse encontro, Estados Unidos e União Soviética se sobressaíram como as duas maiores potências do período. Contudo, as profundas distinções ideológicas, políticas e econômicas dessas nações criaram um clima de visível antagonismo. Preocupada com o avanço da influência do socialismo soviético, os norte-americanos buscaram se aliar politicamente a algumas nações da região balcânica. Em contrapartida, os soviéticos criaram um “cordão de isolamento” político que impediria o avanço da ideologia capitalista pelo restante da Europa Oriental. Essa seria apenas as primeiras manobras que marcariam as tensões ligadas ao desenvolvimento da chamada “Guerra Fria”.O confronto entre socialistas e capitalistas ganhou esse nome porque não houve nenhum confronto direto envolvendo Estados Unidos e União Soviética. Nessa época, a possibilidade de confronto entre essas duas nações causava temor em vários membros da comunidade internacional. Afinal de contas, após a invenção das armas de destruição em massa, a projeção de uma Terceira Guerra Mundial era naturalmente marcada por expectativas desastrosas.Geralmente, percebemos que os episódios ligados à Guerra Fria estiveram cercados por diferentes demonstrações de poder que visavam indicar a supremacia do mundo capitalista sobre o socialista, ou vice-versa. Um primeiro episódio de tal natureza ocorreu com o lançamento das bombas atômicas em território japonês. Através do uso dessa tecnologia, o mundo capitalista-ocidental visava quebrar a hegemonia socialista no Oriente. Logo em seguida, os soviéticos bloquearam a cidade de Berlim em reação contra a tentativa de garantir a hegemonia política capitalista na região. Em resultado desse confronto, o território alemão foi dividido em dois Estados: a República Federal da Alemanha, de orientação capitalista; e a República Democrática Alemã, dominada pelos socialistas. Nessa mesma região seria construído o Muro de Berlim, ícone máximo da ordem bipolar estabelecida pela Guerra Fria.Buscando garantir oficialmente o apoio de um amplo conjunto de nações, os Estados Unidos anunciaram formulação do Plano Marshall, que concedia fundos às nações capitalistas, e logo depois, a criação da OTAN, Organização do Tratado do Atlântico Norte. Por meio dessa última organização militar, os capitalistas definiram claramente quais países apoiariam os EUA em uma possível guerra contra o avanço das forças socialistas.Sem demora, a União Soviética também conclamou os países influenciados pela esfera socialista a assinarem o Pacto de Varsóvia, criado em 1955. Tendo pretensões muito semelhantes à OTAN, a união congregava União Soviética, Albânia, Bulgária, Romênia, Tchecoslováquia, Hungria, Polônia e a República Democrática Alemã. Um pouco antes, respondendo às bombas de Hiroshima e Nagasaki, os soviéticos ainda promoveram testes nucleares no Deserto do Cazaquistão.Essa seria apenas uma pequena amostra da truculenta corrida armamentista que se desenhou entre os capitalistas e socialistas. Como se não bastassem tais ações, a Guerra Fria também esteve profundamente marcada pelo envolvimento de exércitos socialistas e capitalistas em guerras civis, onde a hegemonia política e ideológica desses dois modelos esteve em pauta. Somente nos fins da década de 1980, quando a União Soviética começou a dar os primeiros sinais de seu colapso econômico e político, foi que essa tensão bipolar veio a se reorganizar. Antes disso, conforme muito bem salientou o historiador Eric Hobsbawm, milhares de trabalhadores, burocratas, engenheiros, fornecedores e intelectuais, tomaram ações diversas em torno da ameaça de uma desastrosa guerra.
Por Rainer SousaGraduado em HistóriaEquipe Brasil Escola
http://br.geocities.com/fld2001/guerrafria.htm
http://www.guerras.brasilescola.com/seculo-xx/guerra-fria.htm
http://educaterra.terra.com.br/voltaire/mundo/guerra_fria.htm

2 comentários:

Emerson disse...

Olá Olga.A primeira pessoa a usar a expressão "Guerra Fria",foi o financista e assessor presidencial americano Bernard Baruch,ao proferir o seguinte discurso que na Carolina do Sul em 1947:"Não nos deixamos enganar:estamos hoje em meio a uma guerra fria".O colunista Walter Lippmann também deu o termo corrente,com a publicação do livro "Guerra Fria" em 1947.
O termo Guerra Fria,já tinha sido utilizado por George Orwell em um ensaio chamado "Você e a Bomba Atômica" publicado no jornal britânico Tribune em 19 de outubro de 1945.No entanto,embora contemplando um mundo que vivem na sombra da guerra nuclear e do aviso da "paz que não é a paz",que ele o chamou de uma "guerra fria",Orwell fez remeter diretamente para a guerra com o confronto ideologico entre a União Soviética e as potências ocidentais.Em 1946,Orwell escreveu também após a Conferência de Moscou
em dezembro passado,que a Rússia começou a fazer uma guerra fria "na Grã-Bretanha e ao Império Britânico".

Aguardo uma resposta.


Emerson Gomes Ruiz
Av.Afonso Pena,726-apto.21
Ponta da Praia
Santos(SP)

Profª Olga Maria disse...

Olá Emerson, obrigada por enriquecer meu blog com suas pesquisas e comentários, é isso mesmo o assessor presidencial americano Bernard Baruch, em 1947, foi a primeira pessoa a usar esta expressão. Abraços Olga