segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Brasileiros no Suriname

Baixo nível escolar e maior renda 'seguram' brasileiros

Garimpeiros e trabalhadores que vivem do ouro preferem reconstruir a vida no Suriname, onde não pagam impostos e ganham mais dinheiro

(Felipe Recondo em Panamaribo)

Eles perderam tudo o que demoraram anos para conseguir, foram atacados, saqueados, as mulheres violentadas e todos expulsos do lugar que escolheram para viver. Mesmo assim, garimpeiros brasileiros e trabalhadores que viviam indiretamente da extração do ouro em Albina - a 150 quilômetros de Paramaribo, capital do país - preferem reconstruir a vida no Suriname. E a razão é primordialmente econômica.

Com o baixo nível de escolaridade, sem profissionalização e vindos de cidades com poucas oportunidades de emprego, geralmente no interior do Pará e Maranhão, esses garimpeiros ganhariam no Brasil um quinto do que recebem nos garimpos do Suriname. Dinheiro livre de qualquer tributação no país.

EXPULSOS

Para aqueles que vivem da extração do ouro, as explicações econômicas se somam às limitações impostas pelo governo brasileiro. Com o aumento da fiscalização dos órgãos ambientais e o fechamento de Serra Pelada (PA), garimpeiros brasileiros se viram obrigados a deixar o País.

Foi no início da década de 90 que o movimento em direção aos garimpos do Suriname, Guiana Francesa, Guiana e Venezuela se intensificou. Hoje, conforme estimativas do governo, há 18 mil brasileiros no Suriname, país com população de quase 500 mil pessoas. Somando os quatro países, seriam 80 mil brasileiros em busca de ouro.

"O Brasil tem muito ouro. Não tinha a necessidade de estarmos aqui. Mas o governo fechou o garimpo em que eu trabalhava. Perdi todas as máquinas, aí tive de vir pra cá", explica Carlos Gonçalves, garimpeiro há 28 anos, oito deles no Suriname, onde a polícia não reprime a atividade. Além disso, não é preciso visto: basta o passaporte.

Na Guiana Francesa, é preciso visto para entrar no país. De acordo com informações do governo brasileiro, o garimpeiro que busca trabalho em território francês está disposto a tudo, inclusive enfrentar a polícia. Quem vai para o Suriname, mesmo de forma irregular, encontra condições de organizar vilas de brasileiros e levar a família para a área de garimpo.
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100104/not_imp490192,0.php

Análise de texto:
Leitura e debate sobre o assunto.
Relacionar as causas da "expulsão" desses brasileiros.

2 comentários:

martins111 disse...

By chance I met you. I would like to share with you the knowledge that Jesus has given me. I invite you to visit my work. A hug. http://livrodoespiritosanto.webnode.com.br/

Profª Olga Maria disse...

Olá Sr.Martins, visitei teu site e achei muito interessante. Obrigada por prestigiar o meu blog. Abraços Olga